domingo, 9 de outubro de 2011

15 de Julho

"Você é linda sua velha rabugenta, e se eu pudesse te dar só um presente para o resto da sua vida seria este. Confiança. 
Ou isto ou uma vela perfumada."





 Fiz tantos planos. Queria ajudar a mudar o mundo. Amar e ser amada. E descobri que o amor da minha vida estava sempre por perto. Quer dizer nem sempre. Na maioria estava entre bares e viagens com loiras peitudas e magras do lado. Mais não houve um dia se quer em que não pensamos um no outro. Era pra ele que eu queria contar todos os meus rolos. E  ele a mesma coisa. Durante quase vinte anos tivemos um romance a nossa maneira. Com telefonemas nas madrugadas, cartas cheias de emoções, risos e durante um tempo brigas muitas brigas. Me pergunto como seria se tívessemos namorado antes. Será que teria dado tão certo ? Acho que não. Ele precisava passar por todas as suas fases malucas. De drogado, apresentador de TV, arrogante mulherengo, esposo, pai.  Para depois ser meu, completamente meu. E não só meu melhor amigo. Planejamos morar juntos em uma casa decente e não naquele apartamento super apertado. E estamos tentando ter um filho. Uma mistura de Em e Dex, Dex e Em. Acho que vamos nos sair bem como pais. Nem acredito que finalmente estamos juntos. Desde 15 de julho de 1988 eu desejava por isso, agora eu tenho certeza.


Inspirado no livro UM DIA.  Na personagem de Emma Morley.




Acabo de ler Um dia, um livro de David Nicholls. É um livro encantador, apaixonante. Desperta sensações inúmeras. Risos, tristeza, angústia, raiva, indignação, vontade de dar um muro em Dex. Personagens muito bem construidos, bem reais. Emma é inteligente, engraçada, uma personagem apaixonante. Um dia tem uma proposta inovadora. São flashes da vida dos personagens narrados, um por ano, todos no mesmo dia 15 de julho, durante 20 anos. Virou um dos meus favoritos. E descobri que foi adaptado para o cinema, então deixo aqui o trailler.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Qual a sua intenção?